17/05/2017

Get Out! Corra... E muito! – João F.


   Fala, meu povo! Hoje estou aqui para falar do filme Corra!  Produção estadunidense dirigida pelo comediante Jordan Peele que desde o início do ano tem dado o que falar após sua estreia nos Estados Unidos, prometendo ser um dos mais promissores do ano, abordando o racismo.  O filme só chega aos cinemas brasileiros no dia 18 de Maio, mas já vem sido considerado um dos melhores filmes de horror da década. Será isso tudo?

   Bem, antes de começar, um desabafo. Eu particularmente não curti o título nacional que o filme recebeu, tradução literal de Get out, o título original do longa. Acontece que muitas vezes o Brasil pisa na bola na hora de usar a criatividade para elaborar um título menos bizarro, neste caso praticamente lavando as mãos. Mas, ainda existem alguns filmes cujos títulos nacionais são diferentes dos originais que fazem sentido, e chama mais a atenção do público brasileiro do que se fosse traduzido de forma literal. 


Pois bem, a história de Get out envolve Chris Washington, um fotógrafo negro que está namorando Rose, uma garota branca cuja família rica é formada por caucasianos conservadores. Um dia, ele viaja à casa dos pais da namorada para conhece-los, e está obviamente um pouco nervoso. Ao chegar na casa, ele é muito bem recebido, mas com o tempo percebe que há algo de muito estranho com as pessoas ali, e o rapaz logo se vê em perigo.

A história aparenta ser bem clichê de filmes de comédia ou romance: rapaz vai conhecer os pais da namorada, e está bastante apreensivo. Mas é justamente nesse ponto que o filme mostra toda sua força, provando que sabe muito bem tomar rumos que o espectador jamais poderia imaginar. Trata-se de um filme de terror mais social, abordando questões como o racismo, um dos principais focos da trama. 


   Este é um filme de terror que trabalha o preconceito racial de uma forma que você nunca viu, apelando para o suspense psicológico na maior parte do tempo. O protagonista Chris, interpretado por Daniel Kaluuya, representa a questão do racismo com maestria, incorporando as reações do personagem ao lidar com os demais personagens. Acompanhar o filme através do ponto de vista dele é como ter a sua mesma sensação, a de que há algo muito estranho e perturbador sob a máscara daquela família aparentemente inofensiva.


   No que se refere ao plot, prefiro não revelar mais nada, pois este é o tipo de filme feito para você assistir sabendo o mínimo possível a respeito, aumentando a sensação de desconforto à medida que ele avança. É como se nós estivéssemos realmente na casa Armitage, vivenciando toda aquela situação um tanto estranha. E isso não se deve apenas ao talento do ator principal, como também de todo o elenco, todos ótimos em seus papéis. Os pais da Rose, interpretados por Catherine Keener e Bradley Withford, são as principais representações disso. Enquanto ele apela para patriarca da família que gosta de fazer piadas, a maioria delas sem graça, ela se revela uma personagem mais quieta e reservada, mas misteriosa e um tanto perigosa. As cenas de hipnose envolvendo Keener e Kaluuya são bem agonizantes, provocando no espectador uma boa dose de medo ao saber do que aquela família é capaz.


   Os personagens secundários também se destacam muito, como a governanta Georgina, interpretada por Betty Gabriel, responsável por algumas das cenas mais tensas do filme, sendo um dos destaques principais desde o trailer divulgado. Porém, talvez toda essa tensão presente no filme tenha sido “interrompida” pelo personagem de Lil Rel Howery (aquele gordinho barbudo que se parece com o Joe), o grande alívio cômico da história. Suas cenas mostram o forte desempenho do ator para aqueles momentos de descontração, mas ao mesmo tempo mostra que o longa bebe um pouco da fonte do humor negro, acabando por tornar o filme mais “leve”, consequentemente. Porém, o fato é que o ator cumpre bem seu papel de alívio cômico, mas acho que essas cenas deveriam ter sido mais encurtadas no processo de edição, de forma que não “quebrasse” aquela tensão presente no ápice do filme.


   O espectador que gosta de um bom terror psicológico certamente vai curtir Get out, que apesar de não apresentar nada de inovador, é bem seguro com o que quer exibir, apontando problemas sociais e tendo uma visão do preconceito racial como plano de fundo, aproveitando para inserir críticas desse aspecto em algumas cenas, todas muito bem vindas e encaixadas definitivamente na premissa do longa metragem.  Merece destaque também a angustiante trilha sonora, que colabora para todos os momentos tensos da produção. 
   O filme é bom justamente por isso, por conseguir encaixar muito bem os elementos propostos na sua produção, com uma ou outro elemento desnecessário, mas que não diminui o impacto provocado pelo longa. Corra! é aquele filme com uma ideia fixa, que está seguro do que quer mostrar, sem se perder em clichês ou conter muitas subtramas, este um ponto fraco de muitas das atuais produções de horror, que se encontram saturadas devido à esse elemento presente em suas tramas. Este filme impressiona justamente por ir na contramão, apresentando uma história aparentemente inofensiva e simples, mas à medida que vai avançando se mostra bastante promissora.


- Considerações Finais:

   Para finalizar, gostaria de ressaltar que Corra!  tem uma trama que se desenvolve lentamente, apesar de sua curta duração. Em nenhum momento  a história tem desfechos rápidos e repentinos, pois tudo acontece de acordo com o planejado por Jordan Peele, que prova aqui que consegue fazer um trabalho excelente mesmo estando longe de sua especialidade, que é a comédia. É aquele filme que não tem nas costas a missão de inovar em nada, mas também não é simplesmente mais do mesmo, pois tem potencial o suficiente para ser um dos melhores filmes de 2017. O clima é bem sombrio, perfeito para agradar aos apaixonados pelo gênero, e também oferece muitos bônus. No fim, um filme bastante promissor, que cumpre bem o seu papel e atende às expectativas dos fãs. 

É justo, no placar NS, a pontuação é:




Espalhe a ideia, comente com os amigos! Compartilhe o que é bom!


Twitter: @oNerdSpeaking
Instagram: NerdSpeaking
SoundCloud: Nerd-Speaking
Facebook: NerdSpeaking
 E-mail: nerdspeaking@gmail.com







* Todas as imagens foram retiradas do trailer do filme!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

\O/ NERD FAZ TEXTÃO!! \O/