18/03/2016

Review - A Garota Dinamarquesa - João F.


 Salve, salve! O filme sobre o qual falaremos hoje está bem longe de ser uma história de super-heróis ou algo parecido. Você já deve ter ouvido falar do filme A garota dinamarquesa, que rendeu o Oscar de Melhor atriz coadjuvante para Alicia Vikander, dentre varias indicações ao prêmio. Pois bem, o lançamento do filme foi bastante polêmico, e trata-se de uma história dita real, mesmo com alguns supostos equívocos na mesma. O NerdSpeaking assistiu ao filme, e aqui vai a nossa análise do mesmo.



 O longa-metragem de Tom Hooper (Também responsável por sucessos como O discurso do Rei e Os miseráveis), conta a história de Lili Elbe, uma das primeiras pessoas transexuais a se submeter à cirurgia de redesignação sexual. O ator Eddie Redmayne (Sim, o cara que brilhou como o Stephen Hawking), nos mostra mais uma atuação brilhante, interpretando Lili, que nascera Einar Weneger. A história se passa no meio dos anos 1920, uma época em que a arte fazia sucesso como nunca, através de movimentos artísticos como o surrealismo e o dadaísmo. A pintora dinamarquesa Gerda Weneger (Vikander) é esposa de Einar, também um artista popular, pintando belas paisagens. Gerda precisa de inovação em seus quadros, e pede ao marido para ser um modelo feminino para as pinturas, já que a especialidade dela é fazer retratos. Com isso, Einar passa a desenvolver um novo gênero que cresce dentro de si, passando a se sentir estranho em um corpo masculino. Com isso, nasce Lili Elbe, que para a sociedade é apenas uma prima de Einar, alavancando a carreira de Gerda.



 Quanto às atuações, Eddie Redmayne e Alicia Vikander brilham, sendo as grandes surpresas do filme. O ator mais uma vez se entrega ao papel, sendo mais um desafio para sua carreira. O Óscar para Vikander foi bem merecido, por sua interpretação de uma mulher que logo enxerga a feminilidade do marido. Apesar de lamentar a perda de seu companheiro, ela se mostra sua cumplicidade quando está ao lado de Lili o tempo todo, que carrega o fardo de ser transexual, um fato classificado como loucura por médicos e especialistas da época.

 Quais os equívocos que o filme comete? Calma! São pequenos erros que não afetam o coração do filme, mas que não passam despercebidos aos olhos e ouvidos daqueles que conhecem a verdadeira história de Lili Elbe. Primeiramente, trata-se da época em que os principais eventos se desenrolam. O casal da Dinamarca se mudou para Paris por volta de 1912, quando a adaptação cinematográfica mostra tudo isso durante os anos 20. Também temos o final da história (Alerta de Spoiler!), no qual a morte de Lili ocorreu devido a rejeição do útero que devia “receber” na cirurgia, um fato que o filme parece deixar de lado, mostrando apenas o triste desfecho da dinamarquesa.


 Portanto, trata-se de um filme que traz uma carga emocional muito forte, através de uma bela fotografia e ótima história. O tema da diversidade de gênero tem sido muito discutido nos dias atuais, e o filme pode servir como um grande exemplo disso, ao mostrar a interação entre a personagem transexual com o meio social, em uma época com ideologias bem diferentes. Mais um belo filme de Tom Hooper, que deu o bem merecido prêmio a Alicia Vikander. O NerdSpeaking recomenda!


Espalhe a ideia, comente com os amigos! Compartilhe o que é bom!


Twitter: @oNerdSpeaking
Instagram: NerdSpeaking
SoundCloud: Nerd-Speaking
Facebook: NerdSpeaking
 E-mail: nerdspeaking@gmail.com



2 comentários:

  1. Já estava curiosa por ver o filme .agora estou mais ainda.

    ResponderExcluir
  2. Olha aí, Monike_PE! Agora é só assistir! \o/
    Continue nos acompanhando!
    #NerdSpeaking #JoãoF

    ResponderExcluir

\O/ NERD FAZ TEXTÃO!! \O/