08/01/2016

NS INDICA FILMES: Uma História de Amor e Fúria - Joe!



  Hey pessoas, beleza? Aqui é o Joe e hoje, na primeira indicação de filmes de 2016 do NerdSpeaking, venho falar um pouco sobre uma animação brasileira chamada UMA HISTÓRIA DE AMOR E FÚRIA, dirigido, produzido e escrito por Luiz Bolognesi. Confiram!


   O filme UMA HISTÓRIA DE AMOR E FÚRIA foi, antes de tudo, um grande silenciador àqueles que têm receio das produções brasileiras na arte cinematográfica, sobretudo na área de animações. Foi também um excelente escape da literatura, poesia e história brasileira, onde aqueles que entendem e conhecem da história do Brasil puderam ter um aproveitamento ainda mais amplo sobre o filme. Escrito, dirigido e produzido por Luiz Bolognesi (ganhador de prêmios como Cinema Brasil e Cine PE), lançado no ano de 2013 e vencedor do prêmio principal do Festival International du Film d'Animation d'Annecy da França, UMA HISTÓRIA DE AMOR E FÚRIA foi também indicado ao Oscar de 2014 como melhor animação. Agora, vamos ao plot:

“Viver sem conhecer o passado é andar no escuro.”             
                                                                                                                                                                      - Abeguar

    O filme conta a história de um homem que vive há mais de 600 anos no Brasil, passando por todos os momentos importantes de nossa história desde antes dos portugueses chegarem ao Brasil até o longínquo futuro de 2096, apresentando em sua linha do tempo as diversas formas de conhecimento e costumes (Para aqueles que entendem de RPG, é como uma mistura de medievalismo, steampunk e cyberpunk). O filme narra o amor imortal entre dois indivíduos bastante importantes para o decorrer do filme; Janaína (Camila Pitanga) e o protagonista (Selton Mello), inicialmente apresentado como Abeguar (Comandante do voo em línguas indígenas), mas com o decorrer da história, vai se transformando em diferentes personagens, onde em todos eles busca pelo seu amor verdadeiro, pelo escapismo ideal. Desde o início Abeguar é ilustrado como um homem que luta pelos oprimidos, sempre se aliando ao lado mais fraco da corda e combatendo o mal invisível que no início é intitulado Anhangá (Nome dado aos espíritos que caminham depois da morte, atormentando todos os seres viventes). Abeguar recebe esse nome por ter um dom, a habilidade de “voar”. Em todas as vidas que viveu, Abeguar tenta conquistar o amor de sua vida – A Janaína, que assim como Abeguar, luta pelos fracos.



    Dentro do universo cinematográfico do filme, passamos de forma rápida por quatro principais acontecimentos da história do Brasil que são:
1500 – O descobrimento do Brasil pelos exploradores portugueses. É aí que somos introduzidos também a várias clássicas batalhas estudadas pela história brasileira dentre os índios, portugueses e franceses.
1800 – São mostradas cenas da escravidão, e a situação em que o povo negro vivia, numa época tão conflitante e opressiva da história brasileira. Lá podemos ver o outro lado da moeda quando Abeguar faz menções a grandes guerreiros brasileiros, hoje considerados heróis de tempos passados.
1970 – Nesta parte, é mostrado o Brasil durante a ditadura. Podemos ver vários conflitos entre a juventude e os policiais, entendemos também o ideal de vários cidadãos e podemos refletir no que se passava na cabeça desse povo em tal época.
2096 – Finalmente, o desfecho do filme, o seu ápice. Onde tudo se resume. Novos problemas, novas crises, nova corrupção.

Por que assistir Uma História de Amor e Fúria?
  Não há muito mais que se falar desse filme. É simplesmente fascinante. Desnecessárias as citações de como o filme de fato lhe carrega para todas as épocas que cita, ou todas as miúdas referencias ali colocadas sabiamente, para que o público atento possa encontrar. Não é uma animação só por ser uma animação, mas sim uma representação muito bem lapidada de como recriar situações históricas sem ser surrealista demais. De todas as passagens do filme, peço-lhes que prestem bastante atenção no gênese do personagem principal, Abeguar, e como ele vai se recriando em toda a sua trajetória na terra. Um filme tão miscigenado quanto o Brasil, que mistura a cultura ancestral indígena (Anhangá, Abeguar, as tribos e seus rituais) com ficção e romance.
   Uma História de Amor e Fúria, um romance do amor eterno que se consome e apaga, mas renasce, como uma fênix, que renasce das próprias cinzas. O NerdSpeaking Recomenda!



“Viver sem conhecer o passado é andar no escuro.”            

                                                                                                                                                                      - Abeguar


Espero que tenham gostado do post, porque foi confeccionado exclusivamente para você! Não esqueça de compartilhar e nos acompanhar nas redes sociais!

Espalhe a ideia, comente com os amigos! Compartilhe o que é bom!



Twitter: @oNerdSpeaking
Instagram: NerdSpeaking
SoundCloud: Nerd-Speaking
Facebook: NerdSpeaking
 E-mail: nerdspeaking@gmail.com




Joe: Joe é o fundador, diretor, organizador e 'âncora' do NerdSpeaking. É o cara que organiza o fluxo das postagens do blog, além de revisá-las antes de irem ao ar! Também é o editor e revisor dos conteúdos em áudio produzido pelo NS. Desde pequeno foi induzido a gostar do mundo clássico e contemporâneo do cinema, logo não tem dificuldades em assistir filmes ou jogar games "atemporais". Um amante do universo Sci-Fi, nunca perde a oportunidade de debater teorias fictícias, que tanto repercutem no cinema.  Multi-útil, escreve de tudo um pouco no blog, mas dedica-se um pouco mais especialmente na parte do cinema, TV e games.
palavras-chave: - Nerd - Mochileiro - Cinema - RPG - HQs - Áudio - Música - Café - blogueiro - editor - Séries - Games - Boardgames - Livros

Game preferido: Wolfenstein (Saga)
Livro preferido: Os últimos dias de Krypton
Filme Preferido: Birdman
Série Predileta: Revolution
Twitter: @Joegrafia
Instagram: Joegrafia

Um comentário:

\O/ NERD FAZ TEXTÃO!! \O/